České Království

Pražský Hrad, 12. prosince 2019

Fala do Trono em louvor ao Reich, ao Kaiser e à Dinastia por ocasião do regresso de Sua Majestade o Rei da Boêmia à cidade de Praga

Vossa Majestade o Imperador, nosso irmão,

Vossa Majestade o Rei da Prússia, nosso tio, por meio do qual saudamos a todos os membros da Casa Imperial de Hohenzollern,

Vossa Sereníssima Alteza Imperial o Príncipe da Vestfália, por meio do qual saudamos a todos os monarcas dos Estados alemães e os membros do Conselho Imperial,

Senhoras e Senhores,

Com grande emoção e solenidade nos dirigimos à Sagrada Nação Germânica para comunicar nosso pronto regresso e restabelecimento formal de nossas funções oficiais no Castelo de Praga após um longo retiro em terras tropicais no além-mar. Nos foi imperativo permanecer nas terras lusitanas de Piratininga em razões de deveres temporais que encontram-se muito além das obrigações na Corte de São Venceslau, porém, havendo pacificado todas aquelas questões e considerando ser necessário e urgente nosso regresso, atendemos ao chamado vindo de Munique para retornarmos à Boêmia.

Desde nossa elevação à dignidade majestática e entronização diante de Deus, do Império e do Povo na Catedral de São Vito, reconhecemos o enorme peso de nossas responsabilidades em favor da Alemanha e da Boêmia. A inseparável união e leal vassalagem da Coroa de São Venceslau à Águia Imperial são sinais do nosso perpétuo voto de trabalho pelo contínuo aprimoramento das instituições públicas imperiais e pela felicidade geral dos alemães e boêmios. Reconhecemos os limites que nos são impostos pela realidade e que, eventualmente, encontram-se além de nossos dispositivos e capacidades para serem transpostos, mas jamais nos negaremos a servir o Reich com o melhor de nosso conhecimento adquiro pelos longos anos de experiência micropatriológica.

Senhores,

Ao regressar a Praga reassumimos nosso dever à frente do Conselho Imperial. A Câmara Superior do Parlamento possui um relevante papel a contribuir em relação à reforma territorial na esteira dos compromissos alemães criados pelo Tratado de Neuschwanstein. Será esta a maior transformação das fronteiras imperiais em quase uma década e representará o indelével compromisso do Reich com o projeto de pacificação e efetiva integração das nações europeias e o desenvolvimento do modelismo de Estado praticado neste continente. As fronteiras históricas serão resgatadas, as identidades culturais fortalecidas e o sonho da Pax Europa começará a se consolidar na esteira de iniciativas legislativas como esta a ser realizada no Reichsrat.

O Conselho também proporá o Ato de Supremacia Imperial. Eventos vivenciados neste ano demonstraram ser relevante ao Reich adotar legislação que preserve as instituições imperiais e fortaleça e preserve o papel do Kaiser como símbolo e único intérprete do espírito alemão a ser manifestado pelos órgãos de soberania e poderes regionais dependentes da graça do Imperador. A Supremacia consagrará o modelo germanista histórico e lusófono que desde 2002 estão encarnados no Reich.

O Serviço Diplomático de Sua Majestade também retomará suas atividades, iniciando-se pela promoção das iniciativas traçadas pelas inúmeras deliberações do grupo de nações signatárias do Tratado de Neuschwanstein desde sua entrada em vigência em setembro passado. A preparação do Congresso em Füssen será a primeira desta agenda de atividades na retomada das operações do serviço exterior alemão. Também é oportuno externarmos toda nossa satisfação em receber formalmente Sua Majestade o Rei da Prússia nos quadros do corpo diplomático após sua recente designação por ordem imperial. A competência exercida por Sua Majestade nas artes heráldicas desde tempos imemoriais o tornou numa das personalidades mais icônicas da história lusófona e grande interlocutor entre os povos. Estando a serviço do Kaiser em terras estrangeiras seguramente contribuirá para o sucesso dos interesses alemães na mesma medida que partilhará a chama que ilumina o micronacionalismo em língua portuguesa há tantos anos.

Nosso Imperador,

Dedicamos nossas palavras finais neste anúncio de regresso em tributo a Vossa Majestade. A Boêmia, desde o seu princípio, tem sido pensada e sonhada como um ensaio de práticas que possam promover a alteridade de modelos micropatriológicos no âmbito alemão. Reconhecemos que em certos aspectos nossas iniciativas beiram o singelo idealismo dada a realidade nacional ou são, por vezes, meramente cosméticas, além de que, em muitas ocasiões, nos deparamos com nossas próprias limitações. É nosso desejo, Náš Císař, continuar a Servi-lo da melhor maneira que pudermos com os recursos humanos, intelectuais e políticos que a Coroa de São Venceslau dispor, especialmente no fortalecimento do nome da dinastia. Reafirmar o nome da Casa de Hohenzollern é nosso grande intuito e mui alegres ficamos com o acolhimento de nosso tio no seio da família imperial. Tal gesto, no nosso pensar, contribuiu para afastar um pouco mais do Reich o errático discurso nutrido por certos entusiastas hegemonistas de sangue estrangeiro que vislumbram ser uma família não germânica aquela que reina nestas terras.  É somente diante de uma águia, e não um falcão, que o leão branco da Boêmia se curvará.

A convocação do Sněm da Boêmia não frutificou como esperávamos e por esta razão retomaremos plenamente as rédeas do Estado conforme instruído pela legislação local. Através deste expediente acreditamos que lograremos melhores resultados no desenho institucional da Coroa de São Venceslau e concluiremos o processo de normatização dos aspectos fundamentais do reino iniciado à época de sua criação. Confiamos no apoio de Vossa Majestade neste percurso. Receba nossa humilde homenagem contida nestas linhas e nos dê a direção que a seguiremos com o mesmo empenho das últimas quase duas décadas.

Heil Deutschland! Zdravím z Čech!

Rei da Boêmia, Burgrave de Praga, Conde de Vyšehrad, Barão de Altkirch
Grande Cruz da Ordem da Cruz de Ferro, Condestável da Ilustríssima Ordem do Cisne

Documentos relacionados